TEATRO SOLIDÁRIO

DOA ALIMENTOS PARA CASA DE REPOUSO EM ROLÂNDIA

Idosos do Maanain com a equipe da secretaria de Cultura e alunos das oficinas de teatro

A Secretaria de Cultura da Prefeitura de Rolândia doou na tarde desta terça-feira (21), por meio do projeto teatro Solidário, uma grande quantidade de alimentos não perecíveis ao Lar de Repouso Maanain na cidade. As doações foram arrecadadas durante as apresentações teatrais dos alunos das oficinas de teatro.

Foram três finais de semana de espetáculos no Centro Cultural Nanuk, onde o grande público, apresentava como o ingresso, um quilo de alimento não perecível. Uma parte da arrecadação de centenas de quilos de alimentos foi para as famílias “sem-teto” da cidade e a outra parte doada ao Maanain.

Para o diretor das peças apresentadas Junior Romanini a ação de receber alimentos em troca do ingresso para os espetáculos é muito interessante uma vez que os alunos não são profissionais e a ação desencadeia em outra que é a doação.

O enfermeiro Elmir Carlos, que faz parte da direção do local, recebeu a doação na sede do lar. Ele agradeceu a ação e disse que toda ajuda é bem vinda. “Só temos a agradecer esta ajuda. A entidade é filantrópica e estes alimentos vão muito”, explicou ele.

O Lar Maanain de Rolândia atende hoje a 38 idosos nos períodos matutino, vespertino e noturno. Segundo a coordenação, o local sempre precisa de alimentos não perecíveis, produtos de higiene e fraldas geriátricas.

Os interessados em realizar uma doação podem fazer uma visita ao local na Rua Europa, 1144, centro, ou ainda entrar em contato pelo telefone (43) 3256 3103.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA PREFEITURA DE ROLÂNDIA

Ney Volante

Assessor de Imprensa

3255 8664 – 8406 0476

ney@rolandia.pr.gov.br

djneyjornalista@hotmail.com


CORTEJO BAQUICO NA PRAÇA EM ROLÂNDIA

Diferente, estranho, curioso. Os comentários que se pode ouvir dos espectadores presentes na Praça Castelo Branco no ultimo sábado (10) sobre a peça “Cortejo Báquico” revelam o quanto o público rolandense não tinha contato com este tipo de espetáculo. Para quem nunca viu pode parecer estranho, mas mesmo assim é admirável por ser exatamente algo novo em suas vidas culturais. Para quem já conhece este mundo dramatúrgico, um excelente programa.

O fato é que pessoas de todas as idades e classes sociais pararam um pouquinho para ver o que faziam aquelas pessoas “estranhas” no meio da praça. Quem sabia do evento estava lá na hora marcada, e aqueles que foram pegos de surpresa passseando ou trabalhando se aproximaram ou mesmo de longe acompanharam atentos à encenação.

Sem entender direito o que diziam os atores o público acompanhou literalmente o cortejo que começou em um canto da praça seguiu para o espaço aberto perto da fonte- onde o texto proferido casava exatamente com o cenário “… o sol ainda está alto…”-e terminou sob a sombra da frondosa Seringueira.

Todos aplaudiram, mesmo aqueles que não entenderam nada, aplaudiram emocionados. Afinal, “arte não precisa entender, apenas sentir”.

Arte na praça, na rua no meio do povo. Uma forma de levar um universo desconhecido a quem nunca teve oportunidade. Mais um pioneirismo da Secretaria de Cultura e Turismo de Rolândia.


Grande estréia

O grupo de teatro (adulto) Cia Municipal de Teatro de Rolândia pisa ao palco pela primeira vez hoje no Teatro Nanuk com a peça (Pra Ninguém).

O elenco é todo formado por moradores de Rolândia que, desde maio deste ano  participam do curso de teatro oferecido gratuitamente pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e ministrado pelo conceituado Professor Júnior Romanini.

Segundo Romanini, a peça surgiu através de exercícios de improviso e não seguiu nenhum estímulo textual. “Este trabalho é resultado do esforço e da crença desses atores que, pela primeira vez sobem no palco”. Disse.

Serão duas apresentações neste final de semana 12 (sábado) e13 (domingo).

Na semana que vem é a vez do grupo infantil com o espetáculo “ Onde está o Espião”, nos dias 19 e 20.

Todas as apresentações serão no Teatro Nanuk às 20:00h com entrada Franca.

Sinopse: E um dia não apareceu ninguém. Nem se fizessem todos os esforços de que eram capazes ou que suas barrigas vazias os deixassem, não apareceria ninguém. E então, pra quem? Pra ninguém? Pelo tamanho de seus dotes artísticos, pra ninguém estava de bom tamanho. Afinal, artista que é artista sabe fazer, no mínimo, o número das três laranjas ou então um truque de cartas. E eles, nada! Caloteiros, charlatões, mentirosos? Ou famintos, solitários e sobreviventes?

Direção:Junior Romanini

Elenco: Antonio Marcos Ferreira, Marivalda Cardoso, Elisabeth Pizzaia da Silva, Ranilde Maria Alexandria, Fábio Rodrigues Amorim, Mays Alessandra Masson, Mirian Andrioli.