leitura



Nazismo em Rolândia

Parte da História de Rolândia que Poucos Conhecem e outros tantos escondem

CAPA DO LIVRO "ABRIGO NO BRASIL" de Gudrun Fischer

Prefácio

“Uma pesquisa do IBOPE realizada em março de 2001 mostrou que 89% dos brasileiros nunca ouviram falar do Holocausto e 32% não sabem que houve um extermínio em massa de judeus pelos nazistas durante a 2ª Guerra Mundial. Os resultados do levantamento não surpreenderam. Em vista das deficiências do sistema educacional no Brasil, o nível de conhecimento de grande parte da população é muito baixo. Se a maioria dos brasileiros desconhece sua própria história, não é de estranhar que haja ignorância em relação ao que aconteceu na Europa sob o regime nazista…” (Henry I. Sobel).

O livro

A escritora alemã Gudrun Fischer transcreve em seu livro “Abrigo no Brasil” relatos surpreendentes de mulheres judias alemãs que fugiram da Alemanha nazista e vieram para Rolândia. Mas mesmo longe da loucura do Führer* (Hitler), o medo continuou presente em suas vidas. Suas lembranças são comoventes e dolorosas, estimulantes e informativas. Cada uma elabora a fuga de forma diversa, o que se reflete na variedade dos relatos: ora irônicos, ora secos, alguns sintéticos, outros minuciosos e detalhados.

Para que os leitores e leitoras passam conhecer um pouquinho mais sobre o assunto, transcrevo abaixo fragmentos do citado livro, pois não podemos ignorar o passado, sob pena de vagar cegos no futuro.

Fuga em massa

“Algumas fontes informam que cerca de 10 mil fugitivos alemães judeus se instalaram no Brasil durante o período nazista (…).Fischer, Gudrun. Abrigo no Brasil. São Paulo,2005.P.154.

“(…) Ao todo, cerca de 155 mil alemães emigraram para o Brasil; deles, 90 mil chegaram antes da Primeira Guerra Mundial. Em 1937, havia cerca de 1 milhão de alemães ou descendentes de alemães no país (dados de Emílio Willens, citado por Ethel Kosminsky, 1985) (…)”.Fischer, Gudrun. Abrigo no Brasil. São Paulo,2005.P.149.

Nazismo em Rolândia

“A maioria dos descendentes alemães simpatizantes do nazismo em Rolândia, tinha vindo dos outros estados do Sul, para o Norte do Paraná. Mas alguns nazistas emigraram da Alemanha para Rolândia, entre os anos de 1930 e 1950(…)”.

“Havia pessoas influentes em Rolândia que eram comprovadamente nazistas (…)”. Fischer, Gudrun. Abrigo no Brasil. São Paulo,2005.P.162.

Proibido falar alemão

“A partir de 1942, não era mais permitido falar alemão em público no Brasil, e escolas alemãs foram fechadas. Essa lei também valia para os judeus. Em Rolândia, alguns judeus ficaram presos por alguns dias por falar alemão nas ruas. E quem fosse viajar precisava trazer consigo um salvo conduto.” Fischer, Gudrun. Abrigo no Brasil. São Paulo,2005.P.164.

Frases das entrevistadas

“Todos os dias, na escola, (na Alemanha) nós tínhamos que dizer `Heil Hitler` e `Hitler é o nosso Deus”. (Ruth Kaphan)

 

“Quando descemos do navio, eu disse a mim mesma: “quero apagar tudo que marcou a minha vida por 18 anos”. (Susanne Behrend)

“Sempre serei grata ao Brasil” (Brigitte wendel)

 

Para saberem muito mais coisas, coisas que eu não posso escrever aqui, adquira o livro.

O livro custa apenas R$33,00 e pode ser adquirido pelo site www.submarino.com.br

Boa leitura!

*  Führer : Führer em alemão, o “condutor”, “guia”, “líder” ou “chefe”. Deriva do verbo führen “para conduzir”. Embora a palavra permaneça comum no alemão, está tradicionalmente associado a Adolf Hitler, que a usou para se designar líder da Alemanha Nazista. Fonte: Wikipédia.

 


Escritor de Rolândia divulga seus Livros

Meu Nome é João Manoel Ardigo , tenho 39 anos e há 13 anos sou tetraplégico oriundo de um acidente automobilístico, no qual um caminhão colidiu com meu carro e acabou me atropelando no acostamento de uma BR, pois havia parado para ajudar um amigo. A princípio achei que o mundo havia acabado. Mas com o passar dos anos, percebi que havia ganhado uma segunda chance e a partir daí segui a vida em frente novamente. Onde a cada dia superava uma adversidade e assim sucessivamente fui quebrando as barreiras, voltando a estudar buscar o tempo perdido que não o fiz quando tive a oportunidade. Hoje vejo o mundo sentado em uma cadeira de rodas, mas isso não quer dizer que sou que eu não seja tão normal quanto qualquer pessoa. Tive a oportunidade de poder por no papel e escrever sobre estas adversidade em Dois Livros, posso dizer que sou uma pessoa privilegiada, não fico esperando as coisas acontecerem, vou em busca delas. “Pois não se anda apenas com as pernas”.

Comunidades dos meus Livros:

Quando as Dificuldades Trazem a Solução: Pois a Vida continua… http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=42048442

UMA NOVA VIDA EM MINHA VIDA http://www.orkut.comCommunity.aspx?cmm=13076425

Meu Blog: http://poisavidacontinua.blogspot.com/

Se houver interesse entre em contato: jmapr38@hotmail.com livro01_2005@hotmail.com


Alunos da Escola Parigot de Souza visitam Biblioteca

A 3ª série (B) da Escola Municipal Parigot de Souza visitou nesta manhã a Biblioteca Municipal Ruy Barbosa e o Teatro Nanuk. Coordenados pelas professoras Regiane Müller Freiberger e Silvana Borges Reis, os alunos conheceram as instalações da Secretaria de Cultura e Turismo e a Secretária de Cultura Maria Luiza Muller.

Muito bem comportadas, as crianças ouviram com muita atenção da Funcionária Nair Mantovani sobre as atividades desenvolvidas pela secretaria, tais como teatro e dança.


RETRATO DE MÃE

 Uma simples mulher existe

Que com seu amor resiste

Os contratempos do mundo

É meiga, inteligente

No coração, tudo sente

Com sincero amor profundo

 

 

Sendo fraca, se dente forte

Se preciso enfrenta a morte

Para defender os seus…

Sendo forte, por vezes chora

Pelos filhos suplica, implora

Eleva uma prece a Deus

 

 

Sendo nova, com singeleza

Age com garra e firmeza

Como se fosse idosa

Sendo velha, seu sentimento

É novo a cada momento

E a torna meiga e amorosa

 

 

Ela assemelha a Maria

Que aceitou certo dia

Ser a mãe do Salvador

Ela nos da segurança

Nos transmite confiança

Ela é uma fonte de amor.

 

 

Ela mantém a postura

O carinho, a doçura

Que todos nós almejamos

Ela é a Rainha do Lar

A alegria sem par

Que todos nós procuramos

 

 

Quando ao seu lado vivemos

Por vezes nem percebemos

O quanto é bom abraça-la

Um dia… em sua partida

Daríamos tudo na vida

Pra novamente beijá-la

 

 

Não me pergunte quem é

Esta bondosa mulher

Da qual falo com carinho

Pois tu a conhece de fato

E este é o seu retrato

Ela vive em seu caminho

 

 

Esta que te deu a luz

E que sempre te conduz

Pelos caminhos da vida

Esta humilde pessoa

Tão, meiga, tão terma, tão boa

É a minha, é a sua, é a nossa;

Mamãe querida!

 

 

 

(Noel José de Moura)

contato: (43) 9135-5156

E-mail: noeldocordel@hotmail.com 


Abrigo no Brasil

Entrevistas com imigrantes alemãs

A professora de história Solange Pretti que trabalha no museu municipal entrevistou nesta terça-feira, 27 a pioneira Inge Rosenthal. Dona Inge recebeu com muita hospitalidade a equipe da Secretaria de Cultura em sua residência.

A visita faz parte de uma série de entrevistas encomendada pela Secretária de Cultura e turismo Maria Luiza Muller com pessoas que deram depoimentos à escritora Gudrum Fischer em seu livro “Abrigo no Brasil”.

No museu municipal pode-se encontrar fotos e transcrições das entrevistas. Esta iniciativa visa preservar a história dos imigrantes alemães que encontraram em Rolândia um abrigo seguro, longe da perseguição nazista.

(mais…)


Biblioteca recebe livros infantis

Frutos da parceria entre Secretaria de Cultura e a Distribuidora Almeida, representada pelo senhor Vinicius Marcelino, a Biblioteca Ruy Barbosa recebeu hoje vários exemplares de livros infantis e adultos.

A feira anual do livro, além de proporcionar uma oportunidade para a população de Rolândia adquirir livros por um preço acessível, contribui para o crescimento do acervo da Ruy Barbosa.

Segundo Tânia Maria, Diretora da Biblioteca, o público infantil compreende grande parte dos leitores rolandenses e sempre estão em busca de novidades, portanto vão adorar os novos livros.

Tânia aproveita para convidar as pessoas a visitarem a Biblioteca que atende se segunda à sexta das 7:30 às 21:00h.